SEGUIDORES DO MURAL

segunda-feira, 30 de junho de 2014

O MENINO E SUA MÃE AO COLO,,,

Descansa no meu colo
Tua cabeça de mulher
Deixa que eu seja teu pai,
Ainda que por um instante
Vivamos o parto às avessas
Eu, que sou teu filho,
Por ora quero ser teu pai
Só para ter o prazer de te ver menina
Tão cheia de sonhos
Só pra puxar os teus cabelos
E nele colocar laços bordador de alegrias
Cores de tempos antigos, distantes,
Quando nem imaginavas que eu seria o teu filho
Vem aqui, fica quietinha
Permita que eu cuide de tuas coisas,
De teu guarda-roupas tão cheio de desordens,
Não importa
O remédio eu te trarei,
Teu alimento eu plantarei, e ajeitarei
O teu travesseiro de um jeito que gostes,
Só para descobrir a alegria,
A alegria de reverter os poderes do tempo
E poder inverter a ordem dos fatos
Só para ter a graça de te chamar de minha filha,
Minha menina, minha mãe que é minha "Ninha"
Só para ter a graça de evitar os teus choros futuros,
Tuas dores constantes, teus medos tão delicados
Medo de me perder, de que eu morra antes da hora,
E de que não esteja por perto no momento
Em que eu precisar de tua mão,
Como passado, quando me conduzias contigo,
Como se fôssemos um só, um nó de gente,
Amarrado e costurado no amor que sobrava no teu peito
Que Deus esqueceu no mundo e eu vi de perto
Refletindo nos teus olhos quando a vida
Nos apresentava motivos para perder as esperanças
Oh, minha mãe, que saudade eu sinto de nós dois juntos