SEGUIDORES DO MURAL

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

HISTÓRIA DE AMOR NO MURAL... AMIZADE OU AMOR?


Depois de seis anos de um relacionamento, acabar vendo seu parceiro saindo pela porta de casa para nunca mais voltar, dói demais. Foi o que aconteceu comigo a menos de quatro anos atrás. Conheci Gí em 2001, ela trabalhava para mim num setor que eu comandava na empresa. Mas como sempre nunca dei muita bola, já que eu já namorava outra funcionária às escondidas, já que era proibidos relacionamentos entre funcionários, seria um motivo de demissão. Mas acabei um tempo depois, terminando este relacionamento, por ciúmes, sendo a causas de término de muitos relacionamentos. Numas dessas reuniões da empresa, acabei conversando com a Gí. Achei a menina muito legal e louca ao mesmo tempo. Poucas vezes você acha uma pessoa divertida que gosta das mesmas coisas. Mas com eu sou muito tímido levou mais alguns encontros para eu ter a coragem para me pedir aquela moça em namoro. Mas chegou o dia que eu deveria ter a coragem de me declarar e pedi-la namoro. Maravilhoso encontrar uma pessoa que te completa, da mesma comida, gostar das mesmas músicas, curtir os mesmos filmes... Seja a tua alma gêmea, tua cara-metade. Um relacionamento de seis longos anos de muita compreensão, amizade e amor. Namoramos por maios ou menos seis meses e decidimos morar juntos. Eu praticamente já tinha quase toda minha casa montada, faltavam alguns detalhes, com o passar do tempo foi solucionado. Como ela morava com a irmã e seus pais moravam em outra cidade, ficou fácil. A sogra foi fácil conquistar e o sogro com o tempo eu conquistei aquele coração duro. Eu decidi que seria o último relacionamento, que seria a mulher que ficaria comigo até o final da minha vida.  Mas como tudo tem um inicio, chega o dia que o fim tem acontecer. Como muitos casais, deixam a rotina tomar conta de uma casa, sei que eu tinha um pouco de culpa nisso. Deixamos quem amamos sozinha, esquecemo-nos de dar um beijo e de dizer: ¨eu te amo!¨. Trabalho, casa, stress, brigas, ciúmes e ai por diante. Ai vem aquele desabafo, as desculpas, as lágrimas e a solidão. Ela veio com a desculpa que perdeu seis anos e queria aproveitar, sair sozinha e curtir o que tinha deixado para conviver a dois.  Apesar de todas as discussões, nós tínhamos uma amizade muito forte, que somente um entendia o outro. Mas nada poderia salvar aquela relação naquele dia que seria o dia do adeus. Sem ter motivos nenhum, vem à mentira para tentar justificar o fim do relacionamento, mas quem sabe as más línguas. Até hoje não entendi o porquê ela chegou e me disse que tinha me visto beijando outra pessoa na rua. Sei que era mentira, pois nunca havia traído com qualquer outra mulher, nunca procurei uma amante. Pois sempre a amei e ainda a amo. Mas nada que dissesse naquele momento poderia impedir que ela saísse pela aquela porta. Foi como se levasse um forte chute no coração. Implorei, chorei, jurei e nada conseguiria segura-la naquele momento. Os dias se passaram, mas como se cada dia matasse aos poucos. Sei que cheguei a perder uns dez quilos. Demorei muito a levantar daquela queda. Mas o pior de tudo e ver a coisas de quem você ama indo embora, sabendo que não teria mais volta. Aquela peça de roupa, aquele fio de cabelo na pia, o cheiro que ficou por algum tempo no travesseiro, a imagem dela dormindo no sofá, sentir na mão o cheiro dos produtos que usava na sua pele, aquele prato vazio na mesa, as fotos e a voz que se calou na casa. Era como se um pouco de mim morresse para sempre. Logo após do término de nosso relacionamento eu descobri que ela já estava namorando outra pessoa. Pior de tudo era um conhecido dos ciclos de nossos amigos. Provavelmente já haveria este relacionamento enquanto morávamos juntos, claro na parte em que nosso relacionamento já estava chegando ao fim.  Ver quem você ama nos braços de outra pessoa doe muito. Mas a nossa amizade era muito forte e cada vez que ela queria conversar, eu estava ali para ouvi-la. Mas sempre acabava na cama e isso me machucava muito, pois no outro dia ela iria embora. Sendo que era uma traição, pois ela tinha outra pessoa. Passou algum tempo, mesmo eu amando muito, decidi terminar com aquela situação. Não era justo para ela, para o namorado atual e claro para mim que sofria muito. Aprendi que o amor te leva a fazer loucura, mas não somos obrigados a ficar nessa insensatez pelo resto da vida. Eu a amo muito, mas uma decisão que eu deveria ter tomado há muito tempo. Sei que ela está solteira e eu quase quatro anos sozinho. Acima de tudo, existe um magoa muito grande, orgulho e o medo de sofrer novamente. Nós ainda matemos contato via internet, mas poucas coisas são ditas. Este capítulo da vida terminou, pagina virada. Quem sabe um dia eu consiga viver outro grande amor na vida, mas no momento prefiro dar tempo ao tempo. Porque para viver um novo amor, tem que enterrar o que passou...
Texto: M.E.G.
(direitos reservado para o blog Mural do Píffero)
mande sua história para piffero.m@pop.com.br