SEGUIDORES DO MURAL

terça-feira, 17 de julho de 2012

PASSEANDO EM PORTO ALEGRE

Monumentos e prédios históricos de Porto Alegre

A estátua do Laçador: inspirada na figura do tradicionalista gaúcho Paixão Côrtes, o monumento representa o gaúcho pilchado (em trajes típicos). Em 2007, devido à construção do Viaduto Leonel Brizola, foi transferida de seu antigo local, a Praça do Bombeador, para o Sítio do Laçador. Foi tombada como patrimônio histórico em 2001. É uma obra do escultor pelotense Antônio Caringi, datada de 1954.

Fonte Talavera de La Reina: recebida como presente das colônias espanholas em homenagem ao centenário da Revolução Farroupilha, no ano de 1935, a Fonte Talavera de La Reina representa o marco zero da cidade. Encontra-se em frente ao prédio da prefeitura, na Praça Montevidéo.

Monumento aos Açorianos:
composta de corpos humanos entrelaçados e tendo à frente uma figura alada que lembra o mitológico Ícaro, o Monumento aos Açorianos foi construído em 1973 pelo escultor Carlos Tenius, em homenagem à chegada dos primeiros sessenta casais açorianos que povoaram a cidade de Porto Alegre. O monumento, em linhas futuristas, representa uma caravela.

Monumento ao Expedicionário: inaugurado em 1953, o monumento homenageia os “pracinhas” da Força Expedicionária Brasileira que lutaram na Segunda Guerra Mundial. Na frente traz a inscrição “À Força Expedicionária Brasileira – A Pátria agradecida”. De obra do escultor Antônio Caringi, o monumento possui esculturas em relevo representando soldados de diversas armas e uma figura feminina pisando numa serpente, simbolizando a bravura e a vitória. Está localizado no Parque Farroupilha, em frente ao Colégio Militar.

Monumento a Júlio de Castilhos: localizado na Praça da Matriz, no Centro de Porto Alegre, o monumento representa três momentos na vida do homenageado Júlio de Castilhos: a fase da propaganda republicana, a fase da organização do governo positivista no Estado e a fase posterior à sua retirada do governo. É uma obra do pintor e escultor Décio Villares, inaugurada em 1913.

Ponte de Pedra: construída por volta do ano de 1825, em substituição a uma ponte de madeira erguida quase no mesmo local, a Ponte de Pedra está situada no Largo dos Açorianos. Antigamente cruzava o Arroio Dilúvio e era a única ligação entre as chácaras do sul e o centro da cidade. O monumento foi tombado pelo município em 1979, ganhando um espelho d´água sob seus pilares em arco.


Cais Mauá: construído entre os anos de 1911 e 1927, o Cais Mauá representou o esforço do governo e da sociedade gaúcha em direção à modernização urbana e ao desenvolvimento econômico. Suas características especiais o fizeram ser protegido pelos Patrimônios Históricos Nacional e Municipal. O pórtico central e os armazéns A e B foram declarados patrimônio histórico nacional em 1983, e o restante do conjunto foi protegido pelo município em 11 de outubro de 1996, sob o nº 46 do Livro Tombo.

Casa Godoy: localizada na Avenida Independência, nº 456, a Casa Godoy, construída em 1907 pelo arquiteto Hermann Menchen, faz parte de um conjunto edificado de grande valor na área, incluindo a Igreja da Conceição, Casa Torelly, Santa Casa de Misericórdia e Beneficência Portuguesa. A casa tem uma história social movimentada, pois seu proprietário original, o médico Jacintho Godoy era uma figura conhecida e lá recebia grandes expoentes da sociedade portoalegrense.

Catedral Metropolitana de Porto Alegre: também conhecida como Igreja Mãe de Deus, a Catedral Metropolitana está localizada na Praça da Matriz. Sua construção é datada dos anos de 1793, estando diretamente relacionada com a origem de Porto Alegre, pois naquela época, com a chegada dos colonos açorianos e com a presença de alguns soldados paulistas à espera de seguir caminho para as Missões, as autoridades religiosas viram a necessidade de prover serviços religiosos a essa população.

Chalé da Praça XV: em 22 de novembro de 1885, foi inaugurado o primeiro chalé, como um quiosque para venda de sorvetes. Passou por reformas em 1909, 1911 e em 1971 devido a um incêndio. Localiza-se no centro da cidade, em frente ao Mercado Público, no meio da Praça XV de Novembro. Foi tombado pelo patrimônio histórico municipal em 25 de junho de 1998, sendo hoje um bar restaurante bastante freqüentado, devido a sua culinária saborosa e música ao vivo.

Hidráulica Moinhos de Vento: inaugurada oficialmente em 1928 pelo prefeito Alberto Bins, o prédio localiza-se no Bairro Moinhos de Vento, na Rua 24 de Outubro, s/n. Construída pela companhia privada Hydráulica Guaybense, tinha a função de captar água do Rio Guaíba e distribuí-la à população. Atualmente, o local abriga a Estação de Tratamento de Água do Dmae.


Casa de Cultura Mario Quintana: a construção do edifício do Hotel Majestic, hoje Casa de Cultura Mario Quintana, ocorreu entre os anos de 1916 e 1933, e foi projetada pelo arquiteto Theodor Alexander Josef Wiederspahn. Foi lar de um dos maiores poetas brasileiros, Mário Quintana, que viveu por lá entre os anos de 1968 e 1982. O prédio atualmente pertence ao Estado do Rio Grande do Sul. Localiza-se na Rua dos Andradas, nº 736, no centro da cidade.

Igreja Nossa Senhora das Dores: localizada na Rua dos Andradas, nº 597, a igreja teve sua pedra fundamental lançada em 02 de fevereiro de 1807, mas as obras foram concluídas apenas em 1904 – quase cem anos depois. Diz uma lenda que a demora no processo de construção ocorreu devido à maldição lançada por um escravo que foi condenado à forca pela acusação do roubo de um colar da imagem de Nossa Senhora. Foi tombada e declarada patrimônio histórico e artístico nacional em 1938, sendo a única igreja de Porto Alegre tombada em nível nacional, sob fiscalização do IPHAN.

Igreja de Nossa Senhora da Conceição: localizada à Avenida Independência, em frente à Praça Dom Sebastião, a Igreja de Nossa Senhora da Conceição é uma das igrejas mais antigas da capital gaúcha. Sua pedra fundamental foi lançada em 8 de dezembro de 1851, sendo a construção totalmente concluída em 1880. Com apenas parte da edificação pronta, em 1858 a capela foi benzida e inaugurada solenemente, sendo subordinada à paróquia de Nossa Senhora do Rosário.

Palácio Piratini: situado na Praça da Matriz, no centro de Porto Alegre, o Palácio Piratini foi construído em substituição ao antigo Palácio do Governo – o chamado Palácio de Barro - que havia sido edificado em 1773 e que em fins do século XIX encontrava-se em péssimo estado. A idéia da construção surgiu em 1894, no governo Júlio de Castilhos. O Palácio Piratini foi ocupado pela primeira vez em 17 de maio de 1921, pelo então presidente do estado Antônio Augusto de Medeiros.

Memorial do Rio Grande do Sul: instalado na Praça da Alfândega, é um dos mais belos e importantes edifícios históricos de Porto Alegre. Construído entre setembro de 1910 e dezembro de 1913, o prédio já foi sede dos Correios e Telégrafos. O imóvel foi tombado em 1980 e a partir de 1998 passou por um processo de restauração completa a fim de ser adequado para instalação do Centro Cultural Memorial do Rio Grande do Sul.

Santander Cultural: tombado pelo Patrimônio Histórico Estadual, o prédio da Praça da Alfândega onde localiza-se o Santander Cultural foi construído entre os anos de 1927 e 1931. Foi também sede dos bancos Nacional do Comércio e Sul Brasileiro. O processo de restauração e adaptação do edifício manteve intactos os espaços originais, transformando o antigo edifício em um moderno centro cultural.

Paço Municipal de Porto Alegre: em 1897, José Montaury comprometeu-se com a construção de uma sede definitiva para a Intendência de Porto Alegre, que até então funcionava em espaços alugados no centro. Foi então que, em 05 de abril de 1898 foi lançada a pedra fundamental do Paço Municipal e a construção iniciada em 28 de setembro do mesmo ano. O prédio foi concluído em abril de 1901, e desde então é a sede da Prefeitura de Porto Alegre, localizada no centro da cidade.

Solar dos Câmara: considerado o prédio residencial mais antigo da cidade, o Solar dos Câmara foi construído entre 1818 e 1824 por José Feliciano Fernandes Pinto para servir-lhe de residência. Em 1963, foi tombado pelo IPHAN e somente em 1988 iniciaram as obras de restauração, buscando a recuperação das características originais do prédio, construído no estilo dos casarões coloniais portugueses. Totalmente restaurado sob a forma de um espaço cultural, foi aberto à comunidade em 1993. Localiza-se à Rua Duque de Caxias, 968, no centro da cidade.

Museu Joaquim Felizardo: instalado no Solar Lopo Gonçalves, localizado à Rua João Alfredo, 582, o prédio foi construído entre 1845 e 1855 para servir como residência da família Lopo Gonçalves Bastos numa chácara com fundos à Rua da Margem (atual João Alfredo). O prédio foi tombado em 21 de dezembro de 1979 e em 1980 iniciaram as obras de restauração. O Museu Joaquim José Felizardo foi então inaugurado em 1982.

Theatro São Pedro: por iniciativa de uma sociedade acionária de doze cidadãos que tinham por objetivo construir um teatro, surgiu o Teatro São Pedro. As obras tiveram início em 1834, mas foram interrompidas logo em seguida ainda na fase dos alicerces, em virtude da Revolução Farroupilha (de 1835 a 1845). Após a guerra, com subsídios oficiais concedidos pelos governos seguintes, os trabalhos foram retomados. Finalmente, em 27 de junho de 1858 o prédio foi inaugurado, com capacidade para 700 espectadores e decoração em veludo e ouro, sendo palco dos maiores espetáculos do sul do país. Em 1973, por falta de condições técnicas, foi fechado, sendo reaberto apenas em 27 de junho de 1984, após um intenso trabalho de reestruturação e modernização dirigido por Eva Sopher. O prédio, localizado na Praça Marechal Deodoro, s/n foi tombado em 1985.

Usina do Gasômetro: inaugurado em 1928 como prédio da usina termelétrica do Gasômetro, o prédio recebeu o nome de Usina do Gasômetro ou simplesmente Gasômetro, devido à proximidade com a antiga Usina de Gás de Hidrogênio Carbonado localizada na Rua Washington Luiz, a qual fornecia gás para iluminação pública e abastecimento de fogões. A chaminé da usina foi construída em 1937 a fim de amenizar os problemas decorrentes da fuligem. Desativada em 1970, desde 1991 o local abriga o Centro Cultural Usina do Gasômetro.

Fonte: Extraido do site Portoweb (http://www2.portoalegre.rs.gov.br/pwcidadao/default.php?reg=14&p_secao=135)